Google+ Followers

terça-feira, 28 de janeiro de 2014

A paixão de Cristo e a paixão da Igreja

Dr Plinio, fundador da TFP.
Serviço de Imprensa da TFP, 25 de fevereiro de 1994
 
A evidência dos fatos deixa patente que a partir do Concílio Vaticano II penetrou na Igreja, em proporções impensáveis, a "fumaça de Satanás", de que falou Paulo VI, a qual se foi dilatando dia a dia mais, com a terrível força de expansão dos gazes. Para escândalo de incontáveis almas, o Corpo Místico de Nosso Senhor Jesus Cristo entrou no sinistro processo da como que autodemolição, a que aludiu aquele mesmo Pontífice, em Alocução de 7 de dezembro de 1968.
A História narra os inúmeros dramas que a Santa Igreja Católica, Apostólica, Romana sofreu nos vinte séculos de sua existência. Oposições que germinaram fora dEla, e de fora mesmo tentaram destruí-La. Tumores formados dentro dEla, extirpados, contudo, pela própria Esposa de Cristo; mas que, já então de fora para dentro, tentaram destruí-la com ferocidade.
Quando, porém, viu a História, antes de nossos dias, uma tentativa de demolição da Igreja, já não mais articulada por um adversário, mas qualificada de como que autodemolição em altíssimo pronunciamento de repercussão mundial?
A atitude normal de um católico vendo a Igreja, sua Mãe, passar por essa crise deve ser antes de tudo de profunda tristeza, porque é lamentável que isso seja assim. É um perigo para incontáveis almas que a Igreja seja afligida por tal crise. E, por essa razão, pode-se ter a certeza de que, quando Nosso Senhor, do alto da cruz, viu todos os pecados que haveriam de ser cometidos contra a obra da Redenção que Ele consumava de modo tão profundamente doloroso, sofreu enormemente, em vista de tal gênero de pecados, cometidos em nossos dias.
E, evidentemente, todos esses pecados produziram sofrimentos verdadeiramente inenarráveis no Sapiencial e Imaculado Coração de Maria, que pulsava de dor no peito da Santíssima Virgem enquanto Ela estava de pé, junto à Cruz.
Considerando quanto Nosso Senhor e sua Santíssima Mãe sofreram por causa do que agora está se passando, é impossível não se ficar consternado, muito mais do que em qualquer Sexta-Feira Santa anterior, porque, talvez, este seja dos pontos mais agudos da Paixão e que se mostra em toda a sua hediondez, nas atuais circunstâncias da vida da Igreja
* * * 
O homem contemporâneo é um adorador do prazer, do gáudio, da diversão, e tem horror ao sofrimento.
Ora, está-se aqui em presença de um padecimento agudíssimo. Pode-se compreender, pois, embora tal atitude não seja justificável, a posição de tantas almas que evitam pensar nisso e considerar a fundo o que está se passando para não sofrer em união com Nosso Senhor esta situação trágica, como trágica foi a Paixão.
Em face do drama em que se encontra a Santa Igreja, muitas almas procuram, então, assumir uma posição de indiferença, parecida com a de numerosos contemporâneos de Nosso Senhor, que acreditavam que Ele era Homem-Deus. Mas que, durante a Via Sacra, vendo-O passar, em vez de se compadecer por seus lancinantes sofrimentos, achavam entretanto melhor não considerá-los, mas pensar em outras coisas.
E eis a prova: Nosso Senhor pregou maravilhas e fez milagres portentosos que devem ter impressionado pelo menos uma parte considerável do povo que O cercava. Não seria concebível que essa parte, santamente impressionada, tenha se mantido numa atitude tão quieta, inerte, diante do que se passava. E que a única pessoa que fez algo em prol do Redentor, durante a parte inicial da Via Sacra, tenha sido a Verônica com o seu véu, no qual ficou estampada, depois, a face sagrada do Salvador. Verdadeiramente, mais ninguém tomou tal atitude a não ser ela.
As santas mulheres e Nossa Senhora juntaram-se mais adiante a Nosso Senhor e foram até o alto do Calvário. A Virgem Santíssima está acima de todo elogio. As santas mulheres, que A acompanharam, merecem um elogio que participa do louvor a que Nossa Senhora fez juz. Mas, fora disso, inércia.
Por ocasião da Semana Santa, o que mais se deve pedir a Nossa Senhora, é que Ela nos liberte desse estado de espírito, de tal mentalidade.
Se nosso Redentor está sofrendo, devo querer padecer aquilo que O atormenta. E sofrerei isso meditando nas dores dEle. Esse é o meu dever, dada a união que Ele condescendeu misericordiosamente em estabelecer entre Si mesmo e mim. E o que não for isso não pode deixar de ser qualificado senão de abominável.
Os dias em que vivemos são de gravidade, de tristeza, mas na última fímbria do horizonte aparece uma alegria incomparavelmente maior do que qualquer gáudio terreno: a promessa de um sol que nascerá – o Reino de Maria, anunciado, no ano de 1917, por Nossa Senhora, em Fátima.

Dr Plínio Côrrea de Oliveira. 


segunda-feira, 27 de janeiro de 2014

Fábio de Melo qualifica devoção mariana como "idolatria" !!


O link para o vídeo onde o herege pe Fábio de Melo diz que a devoção a Maria tira Jesus do Centro é este : http://www.youtube.com/watch?v=tdt4fpA8cBw

Durante anos nós avisamos a diversos amigos, familiares e conhecidos sobre a hereticidade deste sacerdote. Não acreditavam. Agora as coisas vão ficando claras. Quem tem olhos de ver que veja!!

Governo do RJ cria concurso para agentes LGBT!!

O governo do Estado do Rio de Janeiro chegou a um nível de surrealismo inacreditável.

Ele acaba de criar um concurso para formar um quadro de agentes que vão atuar no Controle social do SUS em relação aos "direitos LGBT"!! Certamente tais agentes atuarão para que gays, lésbicas e cia. tenham o "direito" de ter tratamentos de saúde especiais como "minoria" e de cirurgia de mudança de sexo.

É preciso dizer antes de mais nada que a criação desses cargos é INCONSTITUCIONAL!!!!!!!!!


Pois vejamos :

1 - O dispositivo 2 b, do edital,  diz que "b) Ser ativista/militante de movimentos sociais LGB
T; " é condição para fazer o concurso. 


2-Ora por lei um concurso só pode fazer exigências que estejam em consonância com a profissionalidade exigida por um cargo de natureza específica( Ex : para o cargo de engenheiro, curso de engenharia).Fazer a exigência de ser ou ter sido "militante de direitos LGBT"  para ocupar cargo público é ridículo pois fere o princípio de igualdade juridica. 

Diz o Artigo 5º. Todos são iguais perante a lei, sem distinção de qualquer natureza, garantindo-se aos brasileiros e aos estrangeiros residentes no País a inviolabilidade do direito à vida, à liberdade, à igualdade, à segurança e à propriedade. O princípio da igualdade prevê a igualdade de aptidões e de possibilidades virtuais dos cidadãos de gozar de tratamento isonômico pela lei. Por meio desse princípio são vedadas as diferenciações arbitrárias e absurdas, não justificáveis pelos valores daconstituição federal.

3-Na Constituição não existem os tais "direitos LGBT": logo criar cargos relativos a eles não tem base na mesma. 

4- Entes públicos podem criar cargos para antender serviços públicos previstos em lei. A administração pública pode criar, por exemplo, uma fundação para atender a gestante pois a saúde da mesma está abarcado no direito a saúde garantido em lei.Criar um cargo público para atender direitos que não existem em lei é um atentado ao princípio de legalidade de todo ato administrativo. Na inobservância deste princípio o ato da administração é inválido juridicamente. 

sábado, 25 de janeiro de 2014

Resposta a um ex-aluno adventista

Ellen G. White, falsa profetiza e mão do adventismo!
Dias atrás em meu perfil no Facebook declarei que : "Essas seitas como testemunhas, adventistas, mórmons, no fundo nascem da vaidade : os fundadores se creem detentores da verdadeira doutrina da fé, se viam como restauradores e salvadores do cristianismo corrompido pelo catolicismo. Acreditavam que estavam a liderar a Igreja dos eleitos, dos puros, dos santos, que eram os salvadores da Igreja e do mundo...no fundo queriam que o mundo os reconhecesse como profetas, mas o que eles traziam no coração era só vaidade e orgulho satânico!!"

Como já de costume a postagem virou polêmica. 

Foi então que um ex aluno meu - a quem me reservo o direito de guardar a identidade - protestou contra minha fala em termos enérgicos: " Desculpa. Mas o senhor deveria pesquisar mais um pouco sobre as religiões, sou um adventista e não tem nada de seita, adoramos ao mesmo Deus, aquele que morreu na cruz por nós! Então, antes de falar asneiras, procure saber a real história das igrejas."

Sou formado em História. A história da religião é um dos meus temas favoritos. História do cristianismo idem. Tendo sido provocado não pude deixar de responder a réplica - mais um protesto que réplica diga-se de passagem - do meu ex -aluno. 


Antes de mais nada é preciso dizer que o Adventismo é um fenômeno do protestantismo: A reforma protestante começou dizendo : a Igreja Católica se afastou da Bíblia, voltemos a Bíblia então. Mas o intento de voltar a Bíblia fracassou por completo. O que mais há no meio protestante é "evangélico" acusando "igrejas" de não seguirem a Bíblia. O apelo a Bíblia não foi capaz de libertá-los dos erros pois se antes eles tinham só na Igreja Católica a adversária da mesma agora tem, ao seu lado, mil e uma "igrejas" contra a Bíblia. No fim isso só prova que nem eles sabem o que de fato diz a Bíblia. Se soubessem não haveria tanta controvérsia. O que prova que em si o protestantismo nunca teve nada a dizer : em si ele é só uma negação da interpretação católica da Bíblia e não uma interpretação precisa da mesma. Ele vive só que nega, pois afirmações vinculantes não existem. O adventismo se insere aí : enquanto interpretação bíblica é a negação da negação. Partem do princípio de que Lutero não fez a Reforma mas que foram eles que a levaram a termo. Daí denominarem o adventismo de "COMPLETA REFORMA". Mas nem mesmo o adventismo conseguiu se manter coeso e unido. Hoje já há a "REFORMA DO ADVENTISMO" com a "IGREJA ADVENTISTA DA PROMESSA", que não toma os escritos de Ellen White e seu livro "O grande conflito" como inspirado, mas segue sua visão adventista misturando-a com elementos neopentecostais.  Fundada pelo "pastor"  João Augusto da Silveira,  ex obreiro da adventista do 7º dia , a mesma tem doutrinas exóticas e claramente absurdas como "Nós cremos que Jesus foi crucificado no dia 14 de abibe, numa quarta-feira, sepultado ao pôr-do-sol deste mesmo dia e ressuscitado no dia 17 de abibe, no sábado, momentos antes do pôr-do-sol."

Abaixo reproduzo a resposta a uma séria de questões - algumas claramente mentirosas - levantadas pelo ex-aluno, mas que evidentemente ele aprendeu como se fossem verdades :

Ex-aluno: Seita? Com que base o senhor diz isto?

Eu: O que distinguia cristãos e judeus no primeiro século eram duas coisas : 1- Cristãos não praticavam as leis caducas do tempo de Moisés( ordenanças de pureza e impureza e alimentares, rituais, cerimoniais) 2- Cristãos observavam o Domingo e progressivamente deixavam de ir ao Templo ou sinagoga no sábado : Os apóstolos guardavam e mandavam guardar o Domingo e não o sábado é a Bíblia mesmo que diz : "“No primeiro dia da semana, reunindo-se os discípulos para partir o pão, Paulo, que havia de sair no dia seguinte, falava com eles, e prolongou o seu discurso até à meia noite (At 20.7; v. 1 Co 16.2). Primeiro dia da semana é Domingo e não Sábado!!!

Ex aluno: Engraçado, que na bíblia original está entre os 10 mandamentos a guarda do sábado. E este texto que o senhor me mandou, de Paulo, é vago, pois em momento algum ordena a guarda do sábado. "Lembra-te do dia do sábado, para o santificar.Seis dias trabalharás, e farás toda a tua obra.Mas o sétimo dia é o sábado do Senhor teu Deus; não farás nenhuma obra, nem tu, nem teu filho, nem tua filha, nem o teu servo, nem a tua serva, nem o teu animal, nem o teu estrangeiro, que está dentro das tuas portas.Porque em seis dias fez o Senhor os céus e a terra, o mar e tudo que neles há, e ao sétimo dia descansou; portanto abençoou o Senhor o dia do sábado, e o santificou.Êxodo 20:8-11...Pode procurar na bíblia original, que esta é a versão correta. Outra coisa, o Imperador constantino, por vontade própria alterou a bíblia, retirando e acrescentando alguns livros, e uniu o catolicismo aos romanos . ""Porque em verdade vos digo que, até que o céu e a terra passem, nem um jota ou um til se omitirá da lei, sem que tudo seja cumprido" (Mt 5:18)"..E desde a infância conheces as Sagradas Escrituras e sabes que elas têm o condão de te proporcionar a sabedoria que conduz à salvação, pela fé em Jesus Cristo.Toda a Escritura é inspirada por Deus, e útil para ensinar, para repreender, para corrigir e para formar na justiça.Por ela, o homem de Deus se torna perfeito, capacitado para toda boa obra.2 Timóteo 3:15-17

Eu: Primeiro fulano você precisa entender que o texto bíblico não tem só uma camada de sentido. Sem entender isso - que é a base de toda boa e correta exegese cristã - não dá para discutirmos nada. Toda a escritura tem sentido literal, moral, tipológico, anagógico. Você lê a bíblia em clave apenas literal. Cuidado! A escritura tem mais sentidos que o literal. Sobretudo quando vc se reporta ao AT - ele, todo ele é preparação para o novo. Tem sentido portanto fortemente típico- os fatos e instituições do AT são anúncios de uma realidade superior a eles que viria com o NT. Outrossim vc comete erros graves em história : Constantino nunca mexeu na Bíblia. Desculpe mas isso é ignorância crassa no assunto. Não há nenhum documento que prove isso. Roma só se tornou um Império oficialmente católico com Teodósio em fins do século IV. O máximo que Constantino fez foi dar liberdade de culto a Igreja e participar do Concílio de Nicéia que proclamou o dogma da divindade de Cristo no qual adventistas crêem evidentemente. Na Bíblia Católica há 7 livros a mais que na protestante por outra razão : ela segue o canôn grego e não o hebreu do AT. Os judeus consideravam que só eram inspirados livros escritos em hebraico e na Palestina...como Judith, Macabeus, Baruc, Sabedoria ( livro que já aponta para a noção de santíssima trindade ) , etc, etc, tinham sido escritos na diáspora eles não foram aceitos pelo Concílio judeu de Jamnia em cerca de 110 DC ...ora se aceitarmos o critério judeu - como fez Lutero - teríamos que rejeitar todo o NT testsmente escrito em grego e fora da Palestina ....na Bíblia Católica o mandato de guardar o sábado está lá no êxodo como em qualuer Bíblia que se preze ...mas como eu disse a questão é entender o Sábado literalmente outra pé compreendê-lo em seu sentido profundo, tipológico e anagógico. Outrossim o sábado literal da Bíblia era móvel pois fundado no calendário lunar hebraico : logo o sábado então era contado a partir da lua nova. Ora o sábado que os adventistas observam é o do calendário gregoriano - católico e não o sábado bíblico literalmente ; o sábado bíblico conta -se 7 dias depois da lua nova e pode cair numa segunda , terça , quarta, etc..é estranho repudiar o catolicismo e usar o calendário criado por um papa para observar o sábado, eu não consigo entender isso!



quinta-feira, 16 de janeiro de 2014

A tacada final para o Anticristo: ONU pretende subjugar a Santa Sé a sua "autoridade"!!



Por direito divino a Igreja é imune em relação aos poderes políticos e isso por uma razão clara : ela sendo instituição divina está acima dos poderes humanos.
 
Todavia desde o século 13-14, existe, no ocidente, uma tendência que procura sujeitar o poder da Igreja aos poderes civis - políticos. Cabe lembrar do que fez o rei Felipe, o Belo, da França, que tentou  a deposição do papa Bonifácio VIII e transferiu o papado para a cidade de Avinhão, para colocar a Igreja sob seu controle.
 
O fortalecimento do poder dos reis no século 14 , permitiu que no século 16 a reforma protestante tivesse sucesso já que foi sobre o abrigo de reis e princípes interessados em se livrar da ingerência da Igreja nos assuntos temporais, através de seu magistério, que os ditos reformadores conseguiram fazer avançar suas doutrinas e seitas.
 
Lembremos também de Clemente XIV, que aboliu a Ordem dos Jesuítas ( Cia de Jesus) para atender aos déspotas esclarecidos do século 18 que estavam sob a influência do iluminismo - vendo portanto a Igreja como inimiga da civilização e da razão. Os monarcas dessa época exigiam a supressão dos Jesuístas pois os mesmos controlavam as cátedras universitárias e as universidades que em geral estavam nas mãos da Igreja. Importava tirar da Igreja o controle da educação para que os "filósofos" iluministas ocupassem as universidades e assim pudessem forjar a mentalidade das futuras gerações. Clemente XIV era bem visto pelos governos adversos aos Jesuítas. Embora espremido pelas circunstâncias, ele contemporizou quatro anos. Só em 1773 publicou o breve Dominus ac Redemptor noster, com o qual extinguiu a Companhia . Os soberanos Bourbons de França, Espanha, Nápoles e Parma não permitiram mais a permanência dos inacianos em seus países. Sebastião José de Carvalho e Melo, conde de Oeiras e marquês de Pombal, já os expulsara das terras lusitanas. O Geral, Padre Lourenço Ricci, não admitia modificações essenciais na constituição jesuítica. Preso no castelo Santo Ângelo, morreu octogenário em 1775.
 
Foi graças a isso que a Revolução Francesa se tornou possível - a atuação jesuítica teria decerto  minorado a influência iluminista-maçônica na França o que poderia ter resultado em que não houvesse a explosão revolucionária sobretudo a de 1792 sob liderança jacobina. 
 
Eis que desde 1962 - ano de início do Concílio Vaticano II - o clero vem se abrindo a realidade laica e secular que marca o mundo moderno como se fossem coisas positivas e queridas por Deus. Em razão disso a tradicional doutrina de sujeição dos estados a realeza de Cristo e de seu pontífice( o papa) vem sendo deixada de lado. Não são mais os Estados que devem sujeitar-se a Igreja e aos princípios eternos que ele preserva: antes, pensa o clero modernista,  é ela que deve se adequar a nova realidade onde o poder político de cunho humanista se arroga o direito de ser a última palavra e de ser o portador dos princípios de ordenação da civilização numa inversão satânica da reta ordem criada por Deus!
 
Exemplo disso é que a encíclica "Mater et Magistra" de João XXIII já abria espaço para um poder que regulasse os problemas internacionais, uma autoridade laica a qual todos - incluída aí a Igreja Católica - deveriam obediência : "Os progressos científicos e técnicos multiplicam e reforçam, em todos os setores da convivência, as relações entre os países, tornando a sua interdependência cada vez mais profunda e vital. Por conseguinte, pode dizer-se que os problemas humanos de alguma importância – qualquer que seja o seu conteúdo, científico, técnico, econômico, social, político ou cultural, apresentam hoje dimensões supranacionais e muitas vezes mundiais. Assim, as comunidades políticas, separadamente e com as próprias forças, não têm já possibilidade de resolver adequadamente os seus maiores problemas dentro de si mesmas, ainda que se trate de nações que sobressaem pelo elevado grau e difusão da cultura, pelo número e atividade dos cidadãos, pela eficácia dos sistemas econômicos, e pela extensão e riqueza dos territórios. Todas se condicionam mutuamente e pode, mesmo, afirmar-se que cada uma atinge o próprio desenvolvimento, contribuindo para o desenvolvimento das outras. Por isso é que se impõem o entendimento e a colaboração mútuos. "( Números 199 a 201).
 
Pois bem : hoje nos deparamos com a seguinte notícia referente aos casos- alguns reais outros apenas supostos - de pedofilia dentro da Igreja : http://noticias.terra.com.br/mundo/europa/renuncia-do-papa/onu-cobra-acoes-do-vaticano-para-combater-a-pedofilia-na-igreja,f5e65bfb2ec83410VgnCLD2000000dc6eb0aRCRD.html
 
Em suma : a ONU cobra da Igreja a observância de seus estatutos relativos a direitos da infância.
Ok! Nenhum católico em sã consciência pode se opor a que padres respeitem a dignidade infantil.
 
O problema todo não está aí mas sim no que há por trás disso: A ONU PRETENDE QUE A IGREJA A RECONHEÇA COMO AUTORIDADE MORAL SUPREMA E COMPETENTE PARA JULGAR INCLUSIVE A IGREJA NÃO APENAS NO CASO DE PEDOFILIA MAS EM QUALQUER CASO!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!
 
O poder laico -secular e mundializante da ONU usa o subterfúgio da "omissão" de parte do clero com os casos de pedofilia para tentar submeter a Igreja a seu juízo.
 
Que consequências imediatas isso pode ter? Imaginem que amanhã grupos de homossexuais poderão procurar a ONU para encaminhar um processo contra a Igreja em razão de sua posição sobre moral sexual e casamento!! O simples fato de autoridades católicas se prestarem ao papel de dar satisfações a ONU fortalece o poder global que se quer criar e abre portas para o império do anticristo.
 
Em suma estamos diante do seguinte problema: que poder deve estabelecer a lei? A ONU crê que as leis que devem reger o mundo globalizado são as que expressam seu credo laicista-secular-humanista. Nesse admirável mundo novo as leis eclesiásticas e divinas não valerão mais. A religião deverá seguir as leis impostas pelo novo clero ( os intelectuais do humanismo secular)!!
 
Será que as autoridades da Santa Sé não enxergam o que há nisso tudo? Rezemos pois os tempos são críticos!
 

sábado, 11 de janeiro de 2014

Ministro protestante denuncia: Silas Malafaia, Assembléia de Deus, Igreja Batista e IURD estão ligadas a Maçonaria!

Silas Malafaia, representante do mamonismo judeu-calvinista
 que irá trabalhar para erguer o templo do Anticristo na Terra
Sabe-se que a fundação da maçonaria moderna tem origem em 1717 na Inglaterra : foi um pastor chamado James Anderson quem a organizou.

“As Constituições de Anderson - redigidas em 1723, veneradas e respeitadas por toda a Maçonaria – viriam esclarecer que o templo de pedra deixava de ser a tarefa do maçon: o edifício a ser levantado em honra e glória ao Grande Arquitecto do Universo passaria a ser a catedral do Universo, ou seja, a Humanidade“.- “The Constitutions of the Free-Masons (1734). An Online Electronic Edit” by James Anderson A.M., Benjamin Franklin et al.
 
 
Foi este pastor presbiteriano, James Anderson, que foi encarregado pela Grande Loja de Inglaterra, de mudar a velha constituição gótica da maçonaria num novo e melhor método. Esta referência ao repúdio do gótico, para “optar por um método melhor" indica a mudança da maçonaria de operativa - como era nos tempos góticos ou medievais - para maçonaria especulativa ou filosófica. Que fosse ele o escolhido para ser o redactor de um documento tão importante como as Constiuições da Maçonaria, nada teve de especial, porque a maioria dos maçons eram protestantes, e muitos presbiterianos, calvinistas, mais tarde episcopais, da Igreja anglicana nos EUA. Que fosse um católico é que seria impossível. Aliás porque os católicos não eram admitidos, nem o seriam durante muito tempo.

Portanto a ligação do protestantismo com a maçonaria é total : a maçonaria não existiria sem o protestantismo.

A denúncia feita pelo "pastor" protestante é correta ( com a excessão, claro, de uma série de fatos trazidos no vídeo que não tem provas suficientes) quanto a infiltração maçônica nas "igrejas" protestantes brasileiras.

Silas Malafaia deu uma declaração interessante sobre isso na Revista Enfoque Gospel - editada pela sua Editora, Central Gospel, vejamos: “Coisa triste é ver um pastor ignorante. Tem muitos pastores falando do que não sabem. Só o conhecimento nos livra deste mal(essa é a doutrina da maçonaria : salvação pelo conhecimento!!), por isso é bom se informar antes. É lógico que nós abominamos sociedades secretas, mas Rotary e Lions nada têm a ver com isso. São sociedades abertas, instituições sérias, éticas e que desenvolvem trabalhos importantíssimos junto a comunidade. Eu já palestrei nos encontros deles. Já fui convidado a participar. Só não participo porque não tenho tempo. Membrar-se ao clube, em absolutamente nada prejudicaria a nossa fé”.
 
Como Silas diz que participar do Lions ou do Rotary não prejudica em nada a fé ? Os dois clubes são fundações maçônicas : O Rotary foi fundado por Paul Harris, os Clubes de Lions por Melvin Jones, ambos maçons!!! Em suma: Rotary e Lions são braços da maçonaria dentro da sociedade civil, são seu braço exotérico( esotérico: secreto; exotérico: público)!!
 
Sejamos claros: ninguém seria convidado a falar no Rotary se não estiver identificado com seus valores que são os mesmos da maçonaria. No mínimo é possível suspeitar de uma filiação de Silas Malafaia a maçonaria. 
 
Logo vale a pena assitir a denúncia feita pelo vídeo: mesmo que ele traga conteúdos discutíveis( como por exemplo colocar uma imagem do Papa Bento XVI associando falsamente a maçonaria - evidentemente para tentar desviar a o foco da questão qual seja a de que todo o protestantismo tem relação direta ou indireta com a maçonaria ) há fatos inegáveis trazidos a público por quem está dentro do meio protestante e que precisam ser conhecidos.
 
O início do vídeo é a parte mais indicada. O final é uma mistureba de besteiróis do aventismo, das idéias dos cristãos messiânicos, etc, etc, etc.



http://www.youtube.com/watch?v=ZlUS_k4Cakw

sexta-feira, 10 de janeiro de 2014

Cebs o retorno: revolução comunista dentro da Igreja Católica e da sociedade!

Altar das Cebs: perversão do autêntico catolicismo
Caros, este início de 2014 vê mais uma celebração do intereclesial das Cebs, desta vez com apoio inclusive de sua santidade o Papa - o que evidentemente clama aos céus!

Não me recordo de Bento XVI ter apoiado os eventos das Cebs aqui no Brasil. Não estou - deixo claro isso - querendo estabelecer um contraste absoluto entre o último pontificado ( que teve limitações evidentes) com o atual. Apenas fico admirado que Francisco dê apoio explícito e público a uma realidade que sempre se pautou pelo estabelecimento da revolução comunista dentro da Igreja Católica e da sociedade civil através da criação de um novo modelo de organização eclesial, não mais aquela tradicional baseada na paróquia e na diocese mas uma que se baseie nas "bases": em suma, uma organização que nasça do povo e esteja a serviço do povo e não de Deus.

Cabe então esclarecer como as Cebs trabalham pela destruição da Igreja tal como instituída por Jesus Cristo.

1- As Comunidades Eclesiais de Base são grupos recrutados por elementos do Clero secular e regular, por Ordens e Congregações religiosas femininas, entre os católicos mais atraídos pela religião, que precisamente por o serem, se acercam dos representantes qualificados da Igreja.

Padres, frades, freiras atuam junto ao povo católico no snetido de reunir grupos que tem por finalidade o estudo da Bíblia a luz da "realidade do povo". Formam-se aí os cículos bíblicos que são os grupos de base: cada Ceb pode ter vários círculos bíblicos.

2- Esses grupos de base têm suas reuniões, uma vez por semana, havendo mensalmente uma reunião de toda a comunidade na "assembléia".As várias Cebs de uma paróquia ou bairro tem um agente pastoral ou equipe pastoral ( pessoas impregnadas da ideologia socialista da Teologia da Libertação e que tem o papel de serem os coordenadores dos círculos bíblicos) que faz a ligação deles como o Pároco. Em geral a Comunidade assume um nome ( O mais comum é Cristo Libertador). Seus membros referem-se a ela como "A comunidade".

3- Os membros das Cebs em geral são pessoas da periferia urbana: donas de casa, operários, empregados do comércio, professoras, aposentados, etc. Seus membros são recrutados nas camadas mais simples da população e nas mais religiosas da paróquia.

4- As Cebs assumem forma colegiada, democrática e igualitária de organização. A direção ostensiva cabe aos agentes de pastoral ( dedicados a fazer a conscientização do povo). Esses direcionam os círculos, as dinâmicas de grupo, etc. Esses agentes formam um grupo que planeja e decide mas sem aparecer, são chamados de "fermento", mas por trás dele há sempre um padre ou freira mas que não aparecem de modo efetivo para que os membros da comunidade pensem que estão participando da co-gestão da vida comunitária. Os membros das Cebs repetirão o que padres e agentes de pastoral lhes ensinam a dizer pois estão criticamente e intelectualmente desarmados. A idéia é fazer crer que as conclusões foram tiradas em comum. Este é o principal artifício empregado para a conscientização dos membros das Cebs.

5- As reuniões semanais são de importância vital as Cebs pois garantem a coesão do grupo, a troca de experiências que criam o espírito comunitário.

6- As atividades das Cebs se dividem em :

A- Religiosas: catequese, cursos bíblicos, equipes de liturgia, etc
B- Social:  Trabalho coletivo, alfabetização, corte e costura, recreações para idosos, escola política.
C-Econômicas: Roças comunitárias, farmácia comunitária, bazar comunitário, caixa comunitária.

O comunitarismo exacerbado é a característica comum das Cebs; nas Cebs é preciso que o indivíduo ceda parte de seu eu , fazendo com que seja substituído por um nós conglomerante e envolvente.

As atividades externas das Cebs mais importantes são as campanhas de mobilização popular para promover alguma reivindicação: reúnem na Igreja ou capela os moradores do bairro, favela, zona rural para tratar de algum problema( água, esgoto, luz, posse de terra, sindicato, etc).

São as Cebs que animam entidades ligadas a CNBB ( Que é um órgão marxista ) como :

- COMISSÃO PASTORAL DA TERRA
-PASTORAL OPERÁRIA
-PASTORAL DA JUVENTUDE
- COMISSÕES DE JUSTIÇA E PAZ
-CENTROS DE DEFESA DE DIREITOS HUMANOS NAS DIOCESES

A função das Cebs é criar um sentimento de revolta e fazer de seus membros militantes pelo socialismo. A teologia da libertação e a leitura da Bíblia em chave revolucionária é a gasolina ideológica das Cebs. 

Os padres marxistas usam então a confiança do povo católico para incutir-lhe as idéias da Teologia da Libertação coo se estas fossem a leitura mais correta da fé ,da Bíblia e dos ensinos de Jesus. Como o povo confia irrestritamente no padre, visto como encarnação da própria Igreja, ele se deixa levar pelas heresias ensinadas. Tal confiança, deformada por uma extensão da infalibilidade do papa, aos bispos e padres e, as vezes, até as freiras, deixo o povo a mercê da ideologização promovida pelos mesmos. 

As comunidades de base, portanto, são organismos inspirados no modelo dos sovietes ( sindicatos revolucionários que reuniam operários e militares e que mobilizaram a massa para a revolução comunista na Rússia em 1917) que tem uma unidade: ela é garantida pelos encontros anuais como o intereclesial. Há um conjunto de bispos, padres, freiras, sociólogos, pastores protestantes que acompanham mais de perto as Cebs. São eles os dirigentes nacionais do movimento.

Cabe lembrar que a Conferência Episcopal Latino Americana(CELAM) de 2007- acontecida em Aparecida- em seu documento final, relançou o tema das Cebs - entre os propositores desse relançamento tínhamos o então arcebispo de Buenos Aires, Jorge Mario Bergoglio - como saída para a Igreja na América. 

Portanto nós estamos diante de uma retomada da ofensiva das Cebs - o próprio Papa Francisco, em sua exortação apostólica voltou a falar da necessidade de reconstruir as Cebs como modelo para a Igreja.

Estamos diante de uma nova ofensiva marxista dentro da Igreja. O site do 13º Intereclesial das Cebs deixa bem claro quais são os seus objetivos: "Em seu livro Pedagogia do Oprimido, Freire explica que um dos principais problemas dos oprimidos é enfrentar o opressor que eles hospedam dentro de si. Segundo ele, a autonomia não é um presente, doação de alguma liderança, mas esforço pessoal e coletivo: “Ninguém liberta ninguém, ninguém se liberta sozinho; os homens se libertam em comunhão” (1985: 27). Referindo-se diretamente ao papel da educação, afirma: Ninguém educa ninguém; ninguém se educa a si mesmo; os homens se educam entre si, mediatizados pelo mundo” (1985:63).Tanto a Teologia da Libertação quanto a Educação Popular incorporaram o conhecido método utilizado pela Ação Católica Brasileira – ver-julgar-agir – e ajudaram a entender as causas da pobreza, da miséria e da exclusão social. Com a apropriação da pedagogia libertadora que valoriza o diálogo, a participação e a práxis houve um avanço significativo no processo de capacitação cidadã e empoderamento popular.O povo não se liberta, se não tem terra. A conquista e repartição da terra é meta do êxodo, com tudo o que isto implica de lutas e de riscos” (Barros, 1988:89). Ao analisar a sociedade capitalista, dividida em classes sociais, a Teologia da Libertação, as CEBs e a Educação Popular têm se utilizado muito da metáfora dos dois times – opressores x oprimidos – amparados na lógica respectiva da opressão x libertação. Na medida em que a pobreza é vista como empobrecimento e exploração não cabem apenas práticas de caridade, mas se fazem necessárias lutas por justiça social. Isso significa um grande avanço político-pedagógico na consciência popular."( In : http://www.intereclesialcebs.org/caminhadacebs.php).



Lutemos contra a obra de subversão da fé e da ordem promovida pelas Cebs! Católicos uni-vos!
                                     

sexta-feira, 3 de janeiro de 2014

O Papa Francisco e as uniões do mesmo sexo na Itália : como o Papa irá reagir?

Não é sempre que a vida real gera um experimento de laboratório para ajudar a resolver um debate histórico, mas a política italiana pode criar  uma oportunidade para lançar luz sobre uma questão chave biográfica sobre Papa Francisco .
Dado que a questão é o estatuto jurídico das relações de pessoas do mesmo sexo , o pensamento do Papa é, obviamente, muito importante.
Antes de sua eleição ao papado , a linha sobre o Cardeal Jorge Mario Bergoglio de Buenos Aires , Argentina, foi de perfilá-lo como um conservador bastante convencional , em parte por causa de seu papel em 2010  no amargo debate nacional sobre o casamento gay na Argentina.
Esse posição foi gerada por conta da retórica política ardente de Bergoglio , expressa em uma carta de julho de 2010, para os mosteiros argentinos , pedindo-lhes para rezar para o fracasso da iniciativa.
" Não sejamos ingênuos : esta não é simplesmente uma luta política , mas é uma tentativa de destruir o plano de Deus ", escreveu então. " Não é apenas um projeto de lei , mas uma jogada do Pai da Mentira , que procura confundir e enganar os filhos de Deus . "

No final, no entanto, a Argentina se tornou o primeiro país da América Latina a adotar o casamento do mesmo sexo.
Como enquadrar o linha-dura de 2.010  e a atual postura do Papa, hoje visto como um moderado político , determinado a não marcar posição na guerra cultural , que disse a famosa frase : "Quem sou eu para julgar ? "
Existem duas teorias básicas .
Uma delas é que a carta de 2010 é do verdadeiro Francisco, e que o fascínio atual com sua luva de veludo ignora o punho de ferro por baixo. Dê-lhe tempo , esta teoria sustenta , e ele vai mostrar suas verdadeiras cores. ( Esse ponto de vista tende a ser popular entre os conservadores culturais que querem o papa para desenhar linhas na areia e os ativistas gays direitos que temem que ele vai fazer exatamente isso. )
A outra teoria sustenta que a carta de 2010 não era do verdadeiro Bergoglio, e que silenciosamente , ele estava disposto a aceitar uma solução de compromisso para uniões civis como alternativa ao casamento gay , tendo adotado uma postura rígida em público só porque era presidente da conferência dos bispos e se sentiu obrigado a articular a visão da maioria .
O padre argentino, Jorge Oesterheld , que serviu como o porta-voz da Conferência Episcopal da Argentina durante os seis anos que Bergoglio foi seu presidente 2005-2011 ,  teria feito precisamente esta afirmação em uma entrevista de abril, com a NCR .
" Alguns [ bispos ] eram mais inflexíveis do que outros ", disse Oesterheld . " O cardeal foi junto com o que a maioria queria. Ele pensou que era o seu trabalho como presidente da conferência dos bispos para apoiar o que a maioria decidiu , e ele não impõs seus próprios pontos de vista sobre os outros bispos ."

Na quinta-feira , o novo líder carismático do Partido Democrata de centro-esquerda  de Florença, prefeito Matteo Renzi , expôs elementos-chave de seu programa em uma carta aos líderes do partido. As pesquisas mostram que Renzi é o favorito para se tornar o próximo primeiro-ministro do país.
Um elemento do programa é o suporte para as uniões civis, ao longo das linhas da " Lei de Parceria Civil ", de 2005 , no Reino Unido adoptados no âmbito do governo Blair.
Dado o ethos fortemente católico da Itália, observadores acreditam que os direitos do casamento completo para casais do mesmo sexo é improvável, mas as pesquisas mostram que há o apoio público para a união civil .
" Estes não são os direitos civis , mas deveres civis ", disse Renzi . "Como pode um país que não leva a sério estas questões se chamar civilizada ? "
Apesar de apoio popular, especialistas políticos na Itália consideram-no uma postura um tanto ousada , uma vez que o suporte para uma medida similar em 2006-2008 ajudou a derrubar o segundo governo de centro-esquerda, o primeiro-ministro Romano Prodi.
Prodi apoiou uma medida união civil conhecido pela sigla italiano " Dico ", que agitou a oposição feroz da Igreja italiana . Ela foi sustentada pelo ultra- poderoso presidente da Conferência dos Bispos , no momento , o Cardeal Camillo Ruini , com o forte apoio do Vaticano e do Papa Bento XVI.

A proposta morreu na videira em 2008, quando Prodi perdeu um voto de confiança no Senado italiano e renunciou.
Assumindo Renzi, seguirá o impulso para o tema da união civil que  pode estar de volta em um futuro governo de centro -esquerda, e o drama , então, tornar-se-á : Será que a resposta sob Francisco seria diferente?
Com base no tom já definido pelo novo papa, muitos observadores esperam que sim. Escrevendo no atual La Stampa , o jornalista Fabio Martini afirmou que na era Francisco os chamados " -cons Theo ", ou seja os políticos que invocam os valores cristãos para defender posições conservadoras ", tornaram-se sem voz , e vai ser difícil recuperar o seu vigor . "
Duas advertências estão em ordem.
Primeiro, Francisco tem dito repetidamente que a igreja não deve tomar posições diretamente políticas , e, portanto, pode ser improvável se expressar de forma explícita. Em segundo lugar, ele também é um forte adepto da colegialidade , e provavelmente iria deixar que os bispos italianos assumam a liderança.
Dito isto , o novo regime em conferência dos bispos italianos , sem dúvida, está ansioso para levar suas sugestões a partir do papa . Francisco está colocando seu próprio selo sobre a liderança do grupo , tendo recentemente nomeado Bispo Nunzio Galantino da diocese Cassano all'Jonio como seu secretário.
No momento em que um governo hipotético Renzi assumisse as rédeas,  a direção da Igreja na Itália deve ser colocada  firmemente nas mãos de Bergoglioístas .
Na quinta-feira , Maurizio Gasparri , da centro-direita e vice-presidente do Senado italiano , disse que a variável crítica no debate iminente será como católicos vão reagir nas principais coligações.

Para o resto do mundo , no entanto , a questão mais intrigante é  : Como irá reagir Francisco ?




John L. Allen Jr , NCR Today , 3 de Janeiro de 2014
 

Católicos de BH são agredidos por seguidores do herege Frei Claudio Van Balen

DEPOIMENTO  DE GUSTAVO HENRIQUE SOBRE O OCORRIDO NA PARÓQUIA DO CARMO DE BH NO DIA 01/01/2014

Ontem,... no dia 01 de janeiro de 2014, dia de Santa Mãe de Deus, às 19:30h dois Leigos Carmelitas foram agredidos dentro da Igreja de Nossa Senhora do Carmo em Belo Horizonte a mando do Frei Claudio Van Balen.

Ao chegar para a Missa de Santa Mãe de Deus, a senhora que é da Ordem Terceira do Carmo (Leiga Carmelita) percebeu que a celebração seria presidida pelo Frei Claudio, (ele não tem costume de celebrar nesse horário), e se aproximou dele para entender toda a situação e conversar com o Frei Claudio sobre o ocorrido. Na presença testemunhal do sacristão da Igreja, Lucas Braga, o Frei Claudio agrediu verbalmente a Terceira Carmelita com palavras de baixo calão e completou: "O meu povo é muito mais forte que você mulher e eu vou mandar eles te lincharem!"
E minutos depois uma turba de pessoas se aglomeraram em torno de uma senhora de quase 60 anos, com problemas cardíacos sérios e irmã carmelita e a jogaram no chão, bateram, pisotearam e por fim uma senhora disse para os que imobilizavam: "Agora todos nós vamos pisotear até a morte". Ela desmaiou por alguns instantes.

Os agressores foram impedidos por 3 pessoas que presenciaram os fatos e conseguiram resgatar esta senhora.

A Leiga Carmelita telefonou para o 190 e para seu filho que também é leigo da Ordem Carmelita e quando este chegou na Paróquia Nossa Senhora do Carmo, foi recebido por um homem que alegou que o filho da senhora estava os filmando pelo simples fato de estar com o celular nas mãos (mesmo que estivesse, a Igreja é publica e acontecia um culto público que qualquer cidadão pode registrar em fotos ou vídeos).

Porém este homem violentamente torceu os braços do jovem Carmelita o imobilizando e o jogando no chão, na sacristia da Igreja Nossa Senhora do Carmo, e outras muitas pessoas se juntaram a este homem e diante da mãe deste jovem, começaram a agredi-lo violentamente com chutes, pontapés sobre a cabeça deste jovem, tapas e até mordidas. O principal agressor tomou o celular do jovem carmelita e lhe arrancou o óculos, o quebrando e entregando para os outros esbravejando que era para todos "talharem ele até ele sangrar a ultima gota".

Neste momento a polícia que já estava no local desde o primeiro fato escutou toda a gritaria e adentrou as dependencias do Convento e Igreja do Carmo, pegando EM FLAGRANTE a agressão covarde contra esse jovem e ainda ouvindo o que o principal agressor dizia: "Vamos jogar pela escada e matar de uma vez".

A Polícia registrou o flagrante e as duas vítimas (mãe e filho) foram encaminhados à unidade de saúde para o atendimento médico, pois foram violentamente agredidos com lesões aparentes.

Será Arquidiocese de Belo Horizonte e Dom João Justino, que vai ser preciso que a Igreja de Belo Horizonte faça MÁRTIRES em pleno século XXI por um problema que a Arquidiocese já poderia ter resolvido?
Será que a Arquidiocese terá que ser lavada com sangue católico primeiro para resolver isto? O pároco, Frei Evaldo também já foi ameaçado de morte por estas mesmas pessoas agressoras em julho de 2013.

É um Frade que além de apostata e herege, caluniador e como vimos, suspeito até de mandante de homicídio é que causou tudo isso.

O que me levou a crer, que o principal motivo da agressão mandada pelo Frei Claudio Van Balen contra os dois, deve-se principalmente porque a senhora carmelita agredida, dias antes em conversa com os outros dois frades que ali residem, Frei Antônio Bento O.Carm e Frei Evaldo Xavier Gomes O.Carm, soube através dos dois que no mês de dezembro ultimo, encontraram enterrado no Jardim do Convento e Igreja do Carmo um caixão. Uma urna funerária.

Agora teremos além de tudo um processo civil, mas e o eclesiástico, o que a Igreja vai fazer diante disso? Deixar que criminosos continuem nos altares?

Deixo meu total repúdio e indignação.
Espero uma posição da Igreja Católica.

Abaixo links de dois vídeos gravados no Pronto Atendimento com depoimentos dos dois agredidos e fotos das lesões causadas.

https://www.facebook.com/photo.php?v=230719957101730&set=vb.100004911822499&type=3

https://www.facebook.com/photo.php?v=230720960434963&set=vb.100004911822499&type=3