Google+ Followers

segunda-feira, 26 de janeiro de 2015

Nota de esclarecimento sobre o sr. Allan dos Santos.



Recentemente o blog prometeo liberto - no qual eu colaboro - trouxe uma matéria sobre o círculo olavista em que a figura do sr. Allan dos Santos é referida como personagem central do mesmo. A matéria em questão diz que o sr. Allan teria estudado em Arujá, no seminário dos Legionários de Cristo. Ademais o mesmo teria insinuado - segundo alguns - uma possível relação do sr. Allan com Tales, filho de Olavo, que é membro de uma tariqa.

Sobre a afirmação de ter estudado em Arujá queremos nos retratar. Sabendo que o sr. Allan esteve num seminário dos legionários anos atrás e, sabendo da existência de um seminário dos mesmos em Arujá, imaginamos que o referido havia estudado lá, por uma conclusão lógica. Porém o sr. Allan esclareceu-nos que estudou, na verdade, em Itapecerica da Serra onde existe outro seminário dos legionários.  O sr. Allan também afirma que jamais teve contato com o sr. Tales. Abrimos portanto o espaço aqui no blog para um direito de defesa do sr. Allan, daquilo que ele considera ter sido uma insinuação injusta e inverídica, pois nosso objetivo é, acima de tudo, a verdade seja lá qual for.

Quanto a afirmação de que estudou em Arujá, a mesma foi feita em boa fé, pelos motivos expostos acima, qual seja, a ignorância da existência de um seminário legionário em Itapecerica.

A "insinuação" da relação entre Allan e Tales foi na verdade, a admissão de uma possibilidade em face da relação do sr. Allan com o sr. Olavo, não constando jamais de uma afirmação categórica.

Segundo o sr. Allan não existe nenhuma relação dele com a tariqa. Nós - nem mesmo o blog prometeo liberto - não fizemos, em tempo algum, afirmações categóricas sobre essa relação. Suspeitas não devem ser confundidas com acusações. Todavia nem sempre é possível, a príncipio, não levantá-las, em razão de tudo que se sabe sobre o círculo olavista.

Assim sendo, em nome da verdade, acolhemos aqui a defesa do sr. Allan e sua alegação de inocência quanto a não estar informado sobre Tales - segundo o sr. Allan ele sequer sabia da existência do sr. Tales.

Outrossim deixo claro que o sr. Carlos Velasco do blog prometeo, não tem nada a ver com o erro da informação sobre a estada de Allan em Arujá. Quem errou fui eu e não ele. 

No mais lamentamos, sinceramente, a relação do sr. Allan dos Santos, alguém que conhecemos pessoalmente e que passamos a admirar como seminarista íntegro e defensor acérrimo da fé, com o referido círculo. Já expusemos aqui os erros teológicos professados pelo sr. Olavo e só temos mesmo que deplorar que alguém, antes tão firme na defesa da fé, tenha se deixado seduzir-  por que motivos não sabemos - pelo hábil prestidigitador. Rezamos, portanto, para que o sr. Allan volte a defender a fé como antes e entenda os riscos inerentes a pertença a esse círculo.






sexta-feira, 23 de janeiro de 2015

Curso Luiz Gonzaga de advinhação!

Vai um mapa astral aí? 
O sr.e professor Luiz Gonzaga de Carvalho, filho de Olavo de Carvalho, é conhecido como mestre em cosmologia e astrologia dita "tradicional". Segundo alguns alunos do COF a astrologia praticada pelo mesmo é absolutamente condizente com a fé católica em nada ferindo seus dogmas ou os mandamentos divinos. Segundo os mesmos, Gonzaga pratica uma outra "astrologia", diversa da moderna; a moderna se caracterizaria como prática advinhatória já a "tradicional" seria "metafísica". Gonzaga alega que faz a mesma coisa que Santo Alberto Magno fazia nos tempos medievais: ou seja, segundo Gonzaga, o que ele praticaria seria nada mais que uma astrologia filosófica; não consta que Santo Alberto praticasse a advinhação, que é pecado contra o primeiro mandamento da lei de Deus. Logo Gonzaga, ao dizer que faz o mesmo que ele fazia, exclui de suas práticas a advinhação. No entanto não é o que vemos neste vídeo: 
                                        


Gonzaga entre outras diz aí que:

1- É possível "prever a morte de alguém" desde que existe uma situação de morte.

2- Que as casas zodiacais do mapa astral ajudam a "determinar acontecimentos futuros"

A quem veja o vídeo não restará dúvida do que tratam suas aulas de astrologia "tradicional": não passam de arte divinatória condenada pela Igreja, pois vejamos: 

Hipólito: “Quão impotente é o sistema [astrológico] para comparar as formas de disposições dos homens com os nomes das estrelas!” (Refutação de Todas Heresias 4:37).
Santo Atanásio: “Donde ser verdade que os autores de tais livros [os astrólogos] acarretaram a si próprios uma dupla reprovação, pois aprofundaram-se em uma desprezível e mentirosa ciência” (Carta de Páscoa 39:1).

São Basílio Magno: “Aqueles que ultrapassam os limites, fazendo das palavras da Escritura sua apologética para a arte de calcular temas de genitura [horóscopos], pretendem que nossa vida dependa da moção dos corpos celestes, e assim os Caldeus lêem nos planetas o que nos ocorrerá”. (Os 6 dias da Criação 6:5)

São João Crisóstomo: “(…) E de fato uma treva profunda oprime o mundo. É ela que devemos fazer dissipar e dissolver. E tal treva não se encontra somente entre os heréticos e os gregos, mas também na multidão do nosso lado, no que diz respeito às doutrinas da vida. Pois muitos [os Católicos] descrêem inteiramente na ressurreição; muitas fortificam-se com o horóscopo; muitos aderem a práticas supersticiosas, augúrios e presságios”. (Homilias sobre Coríntios I, 4:11)”.

Santo Agostinho: “O bom cristão deve precaver-se de astrólogos ou de qualquer um daqueles que praticam impiamente a adivinhação” (apud Sto. Tomás, II-II, Q. 95, art. 5).

“Se alguém pensa que se deve crer na astrologia, seja anátema” (DENZINGER, nº 35).

Importa dizer que Olavo estimula seus alunos a fazer o curso do Gonzaga. Para quem duvida basta ver isso aqui: 




Mas ainda tem quem confie na sinceridade de Olavo quando diz ser católico. 

Deus ilumine os que ainda acreditam nisso para que vejam a realidade dos fatos. 



quarta-feira, 7 de janeiro de 2015

Jornalistas mortos na França: o que a mídia ocidental não diz?






"E agora continuemos estas considerações a respeito da liberdade de exprimir pela palavra ou pela imprensa tudo o que se quiser. Se esta liberdade não for justamente temperada, se ultrapassar os devidos limites e medidas, desnecessário é dizer que tal liberdade não é seguramente um direito. Pois o direito é uma faculdade moral, e, como dissemos e como se não pode deixar de repetir, seria absurdo crer que esta faculdade cabe naturalmente, e sem distinção nem discernimento à verdade e à mentira, ao bem e ao mal. A verdade e o bem há o direito de os propagar no Estado com liberdade prudente, a fim de que possam aproveitar o maior número; mas as doutrinas mentirosas, que são para o espírito a peste mais fatal, assim como os vícios que corrompem o coração e os costumes, é justo que a autoridade pública empregue toda a sua solicitude para os reprimir, a fim de impedir que o mal alastre para ruína da sociedade." Libertas, carta encíclica de sua santidade o Papa Leão XIII, número 29. 

O jornalismo ocidental sempre foi,nada mais, que uma ferramenta de ataque à religião. Desde que a luta pela liberdade jornalística de ofender a fé começou, mas precisamente na França pré-revolucionária (liberdade essa defendida pela maçonaria,  arquiinimiga da cristandade), o mote central da mesma é impor, goela abaixo das massas estupidificadas, a crendice laicista e racionalista nas mentes e corações dos povos, de que sociedade boa é sociedade sem religião ou no máximo com religiões sobre o estrito controle do estado, ou seja, limitadas a existirem apenas no âmbito privado, sem influência pública alguma; seja através da diabolização da religião - sobretudo da Igreja Católica apresentada como opressiva, tirânica e imoral - seja da sua ridicularização o jornalismo atual - que de prestador de serviço a sociedade tem muito pouco - visa desmoralizar por todos os meios a crença religiosa identificando-a com morte, fanatismo e obscurantismo. Nos últimos anos, já tendo conseguido o objetivo de anular politicamente a influência da Igreja Católica, através. principalmente, da adesão das altas rodas episcopais e dos papas ao princípio da laicidade, o jornalismo ocidental volta sua verborragia contra o Islã, numa clara tentativa de criar uma guerra no Oriente Médio, possivelmente para satisfazer a necessidade da indústria da guerra ligada a Otan e EUA. Como seria ótimo para uma economia mundial em crise uma guerra não é mesmo? Diante disso fica claro por que a referência a "terrorismo", no que tange a classificação de um ataque que foi somente um ato de vingança contra piadas feitas contra o mundo muçulmano e não parte de um plano universal de dominação islâmica( que pode até existir na cabeça dos fundamentalistas do Isis e Al Qaeda mas que não tem possibilidade alguma de se efetivar neste momento). O jornalismo ocidental mais uma vez engana o público ao tratar o evento como ato de ampla repercussão, como um perigo mundial,  como se os muçulmanos tivessem, agora, meios de impor sua dominação sobre o planeta inteiro. O clima de paranóia vai ser mais uma vez espargido pelo ocidente; certamente novas leis de controle serão impostas dando ainda mais amplitude a Nova Ordem Mundial, essa sim bem avançada e muito mais perigosa que o terror islâmico. 

Como no 11 de setembro já prevemos possíveis efeitos desse 7 de janeiro de 2015:

- Aumento dos sistemas de segurança em todos os aeroportos mundiais. 
- Propostas de intervenção da ONU nos países islâmicos. 
- Políticas laicistas ampliadas para impedir que o "fanatismo religioso" destrua a civilização.
- Aumento do controle de fluxo de informações na internet. 
Etc. 

Para ficar claro a que esse jornalismo serve vai abaixo uma de suas grosseiras piadas contra a fé cristã:

Ofensa gravíssima a santíssima trindade; a mídia ocidental, contudo, apresenta os jornalistas como vítimas e mártires da liberdade de expressão. Nada disso: tais jornalistas eram apenas cúmplices da NOM e de seus objetivos de demolição moral.



O mais interessante nisso tudo é que, nesses jornais, todas as grandes religiões são ridicularizadas, menos uma:  o Judaísmo. 

Por que será? 

Coincidência? 

Pensem nisso!